quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Venda de C. Ronaldo ameniza rombo

O Manchester United duela com o Real Madrid entre as equipes que mais faturam no planeta, mas o time inglês convive com um outro lado preocupante. A dívida do Manchester aumentou nestes últimos seis meses, atingindo a marca estratosférica de R$ 2 bilhões, 20 vezes mais do que o Corinthians, por exemplo, afirma ter de dívida.

Foram analisados ganhos e gastos a partir de junho de 2009. Houve um aumento de 19,6 milhões de euros (cerca de R$ 50 milhões) em relação ao exercício anterior.

Os dados foram divulgados pela Red Football Joint Venture, companhia controlada pela família Glazer, proprietária do Manchester United.

A negociação do português Cristiano Ronaldo para o Real Madrid por 131 milhões de euros (R$ 330 milhões) deu certo alívio aos caixas do time inglês.

No entanto, os juros dos bancos têm causado enormes cicatrizes na saúde financeira do Manchester. Os atuais proprietários do clube recorreram a bancos para comprar a equipe, em 2005. A dívida com bancos chega a quase 600 milhões de euros (R$ 1,5 bilhão), tendo acréscimo de 233 milhões de euros (R$ 588 milhões) somente em juros.

As contas no vermelho fizeram o Manchester reduzir gastos em contratações. Após a saída do astro Cristiano Ronaldo, o clube adquiriu jogadores sem a mesma expressão do português. Chegaram o equatoriano Antonio Valencia, o francês Gabriel Obertan e o inglês Michael Owen.

Nenhum comentário:

Postar um comentário